Copywriting é um termo do inglês que, em tradução livre, significa produzir textos munidos de estratégia para converter um público-alvo, muito relacionado a estratégias de marketing mas também usando durante toda a jornada de compra e fidelização de clientes.

Alguns exemplos onde um copywriting pode ser usado:

  • Conteúdo em blogs;
  • Landing Pages para download de material visando que o leitor preencha os dados;
  • E-mail de prospecção, focado em conseguir uma resposta do remetente;
  • Proposta comercial, visando fechamento.

É a partir dessa técnica que o redator de um blog cativa a atenção de um visitante e um vendedor consegue convencer um lead a seguir instruções que são dadas.

Esse artigo é para você que quer entender como o copywriting poderia somar em suas estratégias de vendas hoje.

Vamos passar pelos seguintes tópicos:


Quais os principais elementos devem ser contemplados no Copywriting?

Direcionado ao público-alvo/cliente

Um copy precisar estar guiado na persona que representa o cliente ideal a partir de dados de clientes reais. Portanto, como primeiro passo, é imprescindível definir sua persona.

Dessa forma, será possível produzir um conteúdo ou uma abordagem mais assertiva pois estará orientada a um estilo que converse diretamente com os clientes, aumentando a possibilidade de conversões nos diferentes contatos.

Objetivo

O seu copywriting deve ser produzido inteiramente focado nos objetivos estabelecidos. Se o objetivo é uma assinatura de contrato, use abordagens de copywriting diferentes das usadas no momento da prospecção.

Lembre-se que o copywriting consiste em estratégias para que o cliente tome as decisões que você espera. Portanto, o objetivo final guia toda a abordagem!

Análise constante

O copywriting não termina com o envio do seu e-mail ou de uma mensagem para o cliente. É preciso estar atento aos resultados de suas abordagens.

Acompanhe de perto as métricas, observe os resultados como taxa de aberturas, cliques e respostas. A análise serve para destacar táticas que merecem ser potencializadas e apontar aquelas que devem ser evitadas.

Call To Action (CTA)

O CTA é uma sigla em inglês para call-to-action ou, em português, chamada para ação.

De forma geral, finaliza um conteúdo indicando a próxima ação a ser tomada. Em alguns casos, trata-se de um acessar um material de apoio, se encaminhar para outro texto ou preencher um formulário.

Em vendas, a CTA é ainda mais importante e deve ser pensada de maneira estratégica, principalmente se as ações que você deseja que o cliente tome precisam ser estimuladas durante um e-mail ou mensagem.

Experiência do usuário (UX)

Existem questões técnicas que garantem uma boa experiência do usuário durante uma interação, como formatação do texto, aspectos visuais, como imagens e o design da página, e uma boa linguagem.

Mas, principalmente em Copywriting, uma boa experiência do usuário será garantida com uma comunicação customizada, bem direcionada e construída de forma específica.

7 dicas de como aplicar copywriting em vendas

1. Conheça seu público

Ter conhecimento sobre características do seu público irá definir o impacto do seu copywriting.

Dependendo do seu negócio, informações como localidade, idade e gênero são úteis, em outros negócios, como B2B, o cargo, segmento e nome são extremamente importantes.

Conheça também a linguagem que seu público interage, para que sua abordagem desperte uma familiaridade e conexão.

2. Ofereça algo “a mais” para o cliente

Surpreenda por oferecer algo a mais que seu cliente não espera, como enviar um resumo do que foi falado em uma reunião (Champions Letter) ou enviar todos as objeções com suas respectivas soluções após um bate papo de alinhamento de proposta.

Além disso, oferecendo algo a mais sempre que iniciar uma interação com seu cliente faz com que ele sempre preste atenção no que você tem para dizer, o que por si só é sinal de um bom copywriting.

3. Prove o que você está dizendo

Use o copywriting para se expressar de forma efetiva sobre aquilo que você deseja criar uma autoridade com o cliente ou provar a ele, como por exemplo o valor da sua solução/produto ou a importância de uma decisão.

Traga dados reais, cases de sucessos, números interessantes e até mesmo materiais que comprovam e trazem autoridades para suas falas. O copywriting ajuda e muito para criar autoridade.

4. Ofereça algo limitado

Nesse caso, use do fator escassez para gerar urgência. Destaque, por exemplo, prazos para ofertas especiais ou vantagens para decisões feitas com antecedência.

Um copywritring, munido das informações certas, pode despertar a sensação no cliente de que a decisão que você está sugerindo é algo único e que pode ser desperdiçado.

Entretanto, tome cuidado. Crie escassez a partir das informações que você tem do cliente, não use scripts prontos e frases genéricas. Personalize!

5. Faça o Lead/cliente concordar com o que você está dizendo

Trata-se de usar copywriting para mostrar as dores ao cliente e fazer com que ele construa o raciocínio que você deseja de forma autônoma, concordando naturalmente quando você apresentar sua solução para resolver aquela demanda.

Comece anotando bem os pontos chaves de suas interações, principalmente se você já tiver uma ferramenta de CRM, em seguida construa raciocínio através das informações colhidas e aplique os principais elementos de um copy de forma inteligente.

6. Provoque e apresente soluções

Nesse caso, refere-se a mostrar consequências de não resolver um problema, preocupações que precisam ser priorizadas e o que não irá acontecer se o cliente não tomar uma decisão, por exemplo.

Sempre faça provocações indicando soluções, se possível mais de uma, para que não pareça exatamente que aquela questão é um caso complexo e gigantesco, o que pode desmotivar o cliente.

7. Se antecipe às objeções

Estabeleças marcos em cada interação e se posicione de forma antecipativa a possíveis objeções que podem surgir quando um marco é finalizado e um outro será iniciado, como a passagem da etapa de apresentação para proposta por exemplo.

Nesse caso, o copywriting será um aliado, juntamente com um bom mapeamento das objeções através de uma Matriz de Objeção, para que possíveis problemas sejam resolvidos antes mesmo de darem as caras.


Qual o próximo passo?

Para resumir o nosso artigo até aqui, explicamos quais os pontos principais e elementos necessários que precisam ser considerados no momento de estruturação de um copywriting. Em seguida, passei 7 dicas de como aplicar copywriting em suas vendas!

O próximo passo é mapear quais etapas do seu processo de vendas um copywriting pode ser aplicado, começar uns testes amistosos e esperar pelo resultado! Minha dica é munir sua equipe comercial com materiais para que todos consigam aprimorar suas skills de copy.

Surgiu alguma dúvida? Pode deixar seu comentário abaixo que irei te ajudar.